top of page

FAPESP lança Centro de Memória

Site reúne mais de 43 mil documentos, incluindo fotos, vídeos, publicações e entrevistas com cientistas e ex-dirigentes

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo lançou o Centro de Memória Fapesp, que tem como missão contribuir para a preservação da história da Fapesp e a memória da pesquisa no Estado de São Paulo.


O site reúne um acervo de documentos relacionados a 39 mil projetos apoiados entre o ano de criação da Fapesp (1962) e 1992 – os demais seguem disponíveis na Biblioteca Virtual da Fapesp – e mais 5 mil arquivos digitais com entrevistas, fotos, vídeos, publicações sobre a instituição, programas de pesquisa, relatórios e reportagens da Agência Fapesp e da revista Pesquisa Fapesp, entre outros, além da primeira exposição temática que tem como tema o Projeto Genoma.


“A ideia de criar um Centro de Memória surgiu durante as comemorações dos 60 anos da Fapesp, em 2022. A intenção é deixar um legado para as futuras gerações, registrando os esforços de uma agência de fomento e da comunidade de pesquisa paulista para promover o desenvolvimento do Estado com base na ciência, na tecnologia e na inovação", disse Marco Antonio Zago, presidente da Fapesp.


A página inicial do site oferece uma visão geral do centro e dá destaques aos documentos e grupos documentais já disponíveis e armazenados no banco de dados que compõe o acervo e o site. Na área “Entrevistas”, por exemplo, é possível encontrar depoimentos em vídeo de dezenas pesquisadores e ex-dirigentes da Fapesp, entre os quais Carlos Vogt, diretor-presidente da Fundação Conrado Wessel e presidente da Fapesp de 2002 a 2007.


O site também reúne mais de 300 documentos institucionais – relatórios, livros, artigos, entre outros –, agrupados por ano de produção; mais de 300 obituários; a íntegra de 16 conferências realizadas por ocasião da comemoração dos 60 anos da Fapesp, entre outros.


A primeira exposição do Centro de Memória tem como título “O Projeto Genoma e a Pesquisa em Rede”. Organizada em cinco partes, a mostra utiliza recursos multimídia e interativos para contar a história do projeto desde a sua concepção, em 1997, até seu legado para o avanço da pesquisa em genética no país: a qualificação de recursos humanos para pesquisas em genômica e a criação de empresas de biotecnologia como a Alellyx, CanaVialis, Scyla Bioinformática e, mais recentemente, a ReceptaBio.


Todos os 43 mil documentos do acervo do Centro de Memória são apresentados ao público por data de produção, do mais antigo ao mais recente, sendo possível inverter essa ordem. Cada um deles recebeu tratamento arquivístico – isto é, são detalhadamente descritos numa ficha-padrão, customizada de acordo com suas caraterísticas e segundo critério de exposição. O diferencial é que o tratamento arquivístico atribui o contexto de produção, especificando-o sempre que possível.


Está prevista a implantação, na sede da FAPESP, de uma área para a guarda física de documentos do Centro de Memória, que ficará aberta a interessados para consulta e pesquisa.


O Centro de Memória FAPESP pode ser acessado em: centrodememoria.fapesp.br.



* Com informações da Agência Fapesp.


Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page